Um espaço para reinventar Portugal como nação de todo o Mundo, que estabeleça pontes, mediações e diálogos entre todos os povos, culturas e civilizações e promova os valores mais universalistas, conforme o símbolo da Esfera Armilar. Há que visar o melhor possível para todos, uma cultura da paz, da compreensão e da fraternidade à escala planetária, orientada não só para o bem da espécie humana, mas também para a preservação da natureza e o bem-estar de todas as formas de vida sencientes.

"Nós, Portugal, o poder ser"

- Fernando Pessoa, Mensagem.

Portugal, o nevoeiro, o caos e a Hora

"Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...

É a Hora!"

- Fernando Pessoa, "Nevoeiro", Mensagem.

"Um caos é somente essa desordem de onde um mundo pode surgir"

- Friedrich Schlegel, Ideias, 71.

Já não pertencemos ao que foi nem ao que é e mal pressentimos o que vem, o que surge do mais íntimo. Este é o tempo mais difícil e mais pleno.

2 comentários:

David Amaral disse...

Segundo Pessoa é necessário uma forma para ordenar o caos da in-determinação. Essa forma é a do símbolo representado por D Sebastião?
é sem dúvida o tempo mais difícil, mais pleno porque ainda não determinado e incondicional, pleno de potencialidades, dinamys como caos. Depende de nós determinar agora, não deixar desintegrar...

Paulo Borges disse...

Sim, dar uma direcção ao que emerge, mas no sentido mais amplo, que preserve o maior número de possibilidades... Creio que Portugal jamais se pode plenamente determinar: somos demasiado oceânicos para isso.

Enviar um comentário

Portugal, o nevoeiro, o caos e a Hora

"Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...

É a Hora!"

- Fernando Pessoa, "Nevoeiro", Mensagem.

"Um caos é somente essa desordem de onde um mundo pode surgir"

- Friedrich Schlegel, Ideias, 71.

Já não pertencemos ao que foi nem ao que é e mal pressentimos o que vem, o que surge do mais íntimo. Este é o tempo mais difícil e mais pleno.

2 comentários:

David Amaral disse...

Segundo Pessoa é necessário uma forma para ordenar o caos da in-determinação. Essa forma é a do símbolo representado por D Sebastião?
é sem dúvida o tempo mais difícil, mais pleno porque ainda não determinado e incondicional, pleno de potencialidades, dinamys como caos. Depende de nós determinar agora, não deixar desintegrar...

Paulo Borges disse...

Sim, dar uma direcção ao que emerge, mas no sentido mais amplo, que preserve o maior número de possibilidades... Creio que Portugal jamais se pode plenamente determinar: somos demasiado oceânicos para isso.

Enviar um comentário