Um espaço para reinventar Portugal como nação de todo o Mundo, que estabeleça pontes, mediações e diálogos entre todos os povos, culturas e civilizações e promova os valores mais universalistas, conforme o símbolo da Esfera Armilar. Há que visar o melhor possível para todos, uma cultura da paz, da compreensão e da fraternidade à escala planetária, orientada não só para o bem da espécie humana, mas também para a preservação da natureza e o bem-estar de todas as formas de vida sencientes.

"Nós, Portugal, o poder ser"

- Fernando Pessoa, Mensagem.

O que é que eles sabem que a maioria não sabe?

Assisti a esta repostagem, sobre a Escola Eça de Queiroz e fiquei agradavelmente surpeendida... se fosse em camapnha eleitoral e visitada por governantes políticos iria pensar que se tratava de manipulação de informação... professores satisfeitos, adolescentes a elogiar a escola e os professores, integração racial... é caso para dizer: o que é que eles sabem que eu não sei? Como é que eles conseguiram?
Para quem tiver interesse e 30 minutos disponíveis... trata-se de uma reportagem sobre uma escola modelo que tinha todos os motivos para o não ser...
http://194.65.234.221/eca/osflv/reportagem.php

3 comentários:

Laura disse...

Gostei imenso desta reportagem. Aqui se vê também a influência das artes sobre a mente humana. Parabéns a todos, professores e alunos.
Quantas crianças o Conservatório, por exemplo, não salvou de estigmas sociais?
Tenho uma sobrinha que para o ano vai para o Conservatório.
Uma das escolas mais populosas de Lisboa, um encontro de culturas, e o "trabalho implacável" dos professores, na luta pelo sucesso dessas crianças, a Eça de Queiroz é sem dúvida um exemplo a seguir.
Estranho não ser mais divulgado.

Laura disse...

Só tenho pena que a educação sexual continue a concentrar-se apenas nos perigos e riscos do sexo. Acho que um pouco de kama sutra só iria fazer bem.

Cléo disse...

Fiquei verdadeiramente emocionada ao ver esta peça!... e cheia de vontade de ir eu mesma falar com aquelas pessoas que parecem de facto ver algo que a maioria não vê.
Em relação à educação sexual, Laura, concordo com o que dizes ;). E acrescento que existe uma legislação portuguesa muito bem feita e completa que determina a obrigatoriedade desta disciplina em todas as escolas e para todos os anos de ensino, que muito tem vindo a escandalizar pais e professores. Enquadra no ambito da sexualidade questões tão fundamentais para a formação dos indivíduos como sejam o auto-conhecimento, o reconhecimento das suas emoções e afectos e do mesmo nos outros, o respeito pelo proprio corpo e pelos outros, as relações de amizade e de amor... tudo de uma forma muito mais abrangente que a questão funcional do sexo em si mesmo.
Agora não sei qual a numeração da lei, mas vou tentar coloca-la aqui na 2ª feira
... aguardamos (como sempre) a regulamentação desta lei!

Enviar um comentário

O que é que eles sabem que a maioria não sabe?

Assisti a esta repostagem, sobre a Escola Eça de Queiroz e fiquei agradavelmente surpeendida... se fosse em camapnha eleitoral e visitada por governantes políticos iria pensar que se tratava de manipulação de informação... professores satisfeitos, adolescentes a elogiar a escola e os professores, integração racial... é caso para dizer: o que é que eles sabem que eu não sei? Como é que eles conseguiram?
Para quem tiver interesse e 30 minutos disponíveis... trata-se de uma reportagem sobre uma escola modelo que tinha todos os motivos para o não ser...
http://194.65.234.221/eca/osflv/reportagem.php

3 comentários:

Laura disse...

Gostei imenso desta reportagem. Aqui se vê também a influência das artes sobre a mente humana. Parabéns a todos, professores e alunos.
Quantas crianças o Conservatório, por exemplo, não salvou de estigmas sociais?
Tenho uma sobrinha que para o ano vai para o Conservatório.
Uma das escolas mais populosas de Lisboa, um encontro de culturas, e o "trabalho implacável" dos professores, na luta pelo sucesso dessas crianças, a Eça de Queiroz é sem dúvida um exemplo a seguir.
Estranho não ser mais divulgado.

Laura disse...

Só tenho pena que a educação sexual continue a concentrar-se apenas nos perigos e riscos do sexo. Acho que um pouco de kama sutra só iria fazer bem.

Cléo disse...

Fiquei verdadeiramente emocionada ao ver esta peça!... e cheia de vontade de ir eu mesma falar com aquelas pessoas que parecem de facto ver algo que a maioria não vê.
Em relação à educação sexual, Laura, concordo com o que dizes ;). E acrescento que existe uma legislação portuguesa muito bem feita e completa que determina a obrigatoriedade desta disciplina em todas as escolas e para todos os anos de ensino, que muito tem vindo a escandalizar pais e professores. Enquadra no ambito da sexualidade questões tão fundamentais para a formação dos indivíduos como sejam o auto-conhecimento, o reconhecimento das suas emoções e afectos e do mesmo nos outros, o respeito pelo proprio corpo e pelos outros, as relações de amizade e de amor... tudo de uma forma muito mais abrangente que a questão funcional do sexo em si mesmo.
Agora não sei qual a numeração da lei, mas vou tentar coloca-la aqui na 2ª feira
... aguardamos (como sempre) a regulamentação desta lei!

Enviar um comentário