Um espaço para reinventar Portugal como nação de todo o Mundo, que estabeleça pontes, mediações e diálogos entre todos os povos, culturas e civilizações e promova os valores mais universalistas, conforme o símbolo da Esfera Armilar. Há que visar o melhor possível para todos, uma cultura da paz, da compreensão e da fraternidade à escala planetária, orientada não só para o bem da espécie humana, mas também para a preservação da natureza e o bem-estar de todas as formas de vida sencientes.

"Nós, Portugal, o poder ser"

- Fernando Pessoa, Mensagem.

Saúde, Economia, Educação e Ecologia

Do debate gerado no contexto da realização dos trabalhos no grupo da saúde, surgiu a necessidade de criar um elo de ligação com os grupos da Economia, Educação e Ecologia. A generalidade das propostas avançadas no documento da saúde, tocam os seguintes aspectos, que julgamos pertinente dar a conhecer aos grupos referidos:

Economia:

  • Uma maior aposta na prevenção da doença e manutenção da saúde, recorrendo a terapias e métodos mais naturais, diminuem o nº de pessoas que efectivamente ficam doentes, logo, diminuem o nº de pessoas que precisam de recorrer à baixa médica e à segurança social;
  • Uma abordagem mais natural, humanizada e fisiológica do parto, permite uma redução significativa da utilização de anestesias e material cirúrgico;

Educação:

  • A implementação de actividades como o ioga, tai-chi, meditação, etc, nas escolas, ajudaria a diminuir o número de problemas de comportamento e reduziria significativamente o índice de violência e de "hiperactividade" e "deficit de atenção" dos alunos;
  • Um maior controlo das ementas oferecidas nas escolas, associado a "medidas de educação para a alimentação", aumentaria o nível de saúde e rendimento académico dos alunos

Ecologia:

  • Uma maior aposta na prevenção da doença e manutenção da saúde, recorrendo a terapias e métodos mais naturais, diminuem o nº de pessoas que efectivamente ficam doentes, logo, diminuem a necessidade de recorrer a medicamentos cujas embalagens e conteúdos inacabados poluem e contaminam o ambiente;
  • Uma abordagem mais natural, humanizada e fisiológica do parto, permite uma redução significativa da utilização de anestesias e material cirúrgico, que depois irão aumentar o nível de lixo hospitar;
  • O reforço das medidas de incentivo e apoio à amamentação, poderão contribuir de forma significativa para a redução de bebés e crianças que são alimentados com "leite de lata" e, consequentemente, reduzirão significativamente a quantidade de lixo produzido com esta prática: latas de leite, borrachas e silicones de tetinas, plásticos de biberons e embalagens que contém tudo isto.

Esperamos com isto contribuir para o enriquecimento do vosso trabalho (se é que ainda não tinham contemplado os itens referidos) e para a criação de uma rede de ligação entre os vários temas abordados no Manifesto.

2 comentários:

Cléo disse...

Colegas da Saúde.... acho que não me esqueci de nada. Mas se faltar alguma coisa, digam!

Magno Jardim disse...

Um excelente principio,o começo;
A implementação e concretização de tão valorozo gesto. As melhores felicidades e concretizações. Magno Jardim

Enviar um comentário

Saúde, Economia, Educação e Ecologia

Do debate gerado no contexto da realização dos trabalhos no grupo da saúde, surgiu a necessidade de criar um elo de ligação com os grupos da Economia, Educação e Ecologia. A generalidade das propostas avançadas no documento da saúde, tocam os seguintes aspectos, que julgamos pertinente dar a conhecer aos grupos referidos:

Economia:
  • Uma maior aposta na prevenção da doença e manutenção da saúde, recorrendo a terapias e métodos mais naturais, diminuem o nº de pessoas que efectivamente ficam doentes, logo, diminuem o nº de pessoas que precisam de recorrer à baixa médica e à segurança social;
  • Uma abordagem mais natural, humanizada e fisiológica do parto, permite uma redução significativa da utilização de anestesias e material cirúrgico;

Educação:

  • A implementação de actividades como o ioga, tai-chi, meditação, etc, nas escolas, ajudaria a diminuir o número de problemas de comportamento e reduziria significativamente o índice de violência e de "hiperactividade" e "deficit de atenção" dos alunos;
  • Um maior controlo das ementas oferecidas nas escolas, associado a "medidas de educação para a alimentação", aumentaria o nível de saúde e rendimento académico dos alunos

Ecologia:

  • Uma maior aposta na prevenção da doença e manutenção da saúde, recorrendo a terapias e métodos mais naturais, diminuem o nº de pessoas que efectivamente ficam doentes, logo, diminuem a necessidade de recorrer a medicamentos cujas embalagens e conteúdos inacabados poluem e contaminam o ambiente;
  • Uma abordagem mais natural, humanizada e fisiológica do parto, permite uma redução significativa da utilização de anestesias e material cirúrgico, que depois irão aumentar o nível de lixo hospitar;
  • O reforço das medidas de incentivo e apoio à amamentação, poderão contribuir de forma significativa para a redução de bebés e crianças que são alimentados com "leite de lata" e, consequentemente, reduzirão significativamente a quantidade de lixo produzido com esta prática: latas de leite, borrachas e silicones de tetinas, plásticos de biberons e embalagens que contém tudo isto.

Esperamos com isto contribuir para o enriquecimento do vosso trabalho (se é que ainda não tinham contemplado os itens referidos) e para a criação de uma rede de ligação entre os vários temas abordados no Manifesto.

2 comentários:

Cléo disse...

Colegas da Saúde.... acho que não me esqueci de nada. Mas se faltar alguma coisa, digam!

Magno Jardim disse...

Um excelente principio,o começo;
A implementação e concretização de tão valorozo gesto. As melhores felicidades e concretizações. Magno Jardim

Enviar um comentário