Um espaço para reinventar Portugal como nação de todo o Mundo, que estabeleça pontes, mediações e diálogos entre todos os povos, culturas e civilizações e promova os valores mais universalistas, conforme o símbolo da Esfera Armilar. Há que visar o melhor possível para todos, uma cultura da paz, da compreensão e da fraternidade à escala planetária, orientada não só para o bem da espécie humana, mas também para a preservação da natureza e o bem-estar de todas as formas de vida sencientes.

"Nós, Portugal, o poder ser"

- Fernando Pessoa, Mensagem.

"Ao contrário do hinduísmo, o budismo sempre teve a vocação da universalidade. Opõe-se aos deuses protectores de um único povo, deuses cujo poder estaca em certas fronteiras. O budismo dirige-se a todas as mulheres, a todos os homens, a todos os seres. Mas atenção: não ao mesmo nível, não da mesma maneira. Os que desejam aderir ao sangha devem agir com grande prudência. Trata-se de uma decisão muito grave, que implica uma vida e mesmo diversas vidas. Não se renuncia impunemente ao nosso passado, às nossas raízes. E de qualquer maneira, não fazemos nada para converter os outros. Não é esse o nosso alvo"

Dalai Lama e Jean-Claude Carriére (1995), A Força do Budismo. Lisboa: Difusão Cultural, p.20.

4 comentários:

Kunzang Dorje disse...

Caros amigos,
julgo que seria bom para este espaço uma maior participação de representantes das diversas comunidades religiosas. O que comentaria, por exemplo, um hindu a este post? O que pensa um cristão acerca da vacuidade budista? E o que pensa um ateu sobre o islão que ressurge na Europa? Será possível estabelecer um diálogo inter-religioso sincero, não no sentido do sincretismo mas sim do estudo e da compreensão das diferentes vias religiosas? Um diálogo que vise, sobretudo, acabar com o medo pelo outro, o medo que geralmente se cristaliza em xenofobia? Abraço.

Paulo Borges disse...

Concordo, Kunzang. Tenho tentado isso e convido todos a trazerem para este espaço todos os que tenham algo de interessante a dizer, sejam quem forem, religiosos, agnósticos ou ateus.

luis santos disse...

Absolutamente de acordo. Fundamental o diálogo inter-religioso...

LILITH disse...

Sem duvida que seria muito interessante um dialogo inter-religioso.
Contudo,acredito também que cada religião é apenas um caminho para se chegar a uma verdade...absoluta?
Não me sinto altura de responder à minha propria questão.
Por essa razão,acredito que apenas são suportes para ajudar cada ser a escolher aquele que mais profundamente lhe toque no seu ser.
Respeitando as escolhas de cada um,e acima de tudo...muita tolerancia,pessoalmente acredito que estamos a fazer grandes progressos...dentro de nos mesmos!!!

Enviar um comentário

"Ao contrário do hinduísmo, o budismo sempre teve a vocação da universalidade. Opõe-se aos deuses protectores de um único povo, deuses cujo poder estaca em certas fronteiras. O budismo dirige-se a todas as mulheres, a todos os homens, a todos os seres. Mas atenção: não ao mesmo nível, não da mesma maneira. Os que desejam aderir ao sangha devem agir com grande prudência. Trata-se de uma decisão muito grave, que implica uma vida e mesmo diversas vidas. Não se renuncia impunemente ao nosso passado, às nossas raízes. E de qualquer maneira, não fazemos nada para converter os outros. Não é esse o nosso alvo"

Dalai Lama e Jean-Claude Carriére (1995), A Força do Budismo. Lisboa: Difusão Cultural, p.20.

4 comentários:

Kunzang Dorje disse...

Caros amigos,
julgo que seria bom para este espaço uma maior participação de representantes das diversas comunidades religiosas. O que comentaria, por exemplo, um hindu a este post? O que pensa um cristão acerca da vacuidade budista? E o que pensa um ateu sobre o islão que ressurge na Europa? Será possível estabelecer um diálogo inter-religioso sincero, não no sentido do sincretismo mas sim do estudo e da compreensão das diferentes vias religiosas? Um diálogo que vise, sobretudo, acabar com o medo pelo outro, o medo que geralmente se cristaliza em xenofobia? Abraço.

Paulo Borges disse...

Concordo, Kunzang. Tenho tentado isso e convido todos a trazerem para este espaço todos os que tenham algo de interessante a dizer, sejam quem forem, religiosos, agnósticos ou ateus.

luis santos disse...

Absolutamente de acordo. Fundamental o diálogo inter-religioso...

LILITH disse...

Sem duvida que seria muito interessante um dialogo inter-religioso.
Contudo,acredito também que cada religião é apenas um caminho para se chegar a uma verdade...absoluta?
Não me sinto altura de responder à minha propria questão.
Por essa razão,acredito que apenas são suportes para ajudar cada ser a escolher aquele que mais profundamente lhe toque no seu ser.
Respeitando as escolhas de cada um,e acima de tudo...muita tolerancia,pessoalmente acredito que estamos a fazer grandes progressos...dentro de nos mesmos!!!

Enviar um comentário