Um espaço para reinventar Portugal como nação de todo o Mundo, que estabeleça pontes, mediações e diálogos entre todos os povos, culturas e civilizações e promova os valores mais universalistas, conforme o símbolo da Esfera Armilar. Há que visar o melhor possível para todos, uma cultura da paz, da compreensão e da fraternidade à escala planetária, orientada não só para o bem da espécie humana, mas também para a preservação da natureza e o bem-estar de todas as formas de vida sencientes.

"Nós, Portugal, o poder ser"

- Fernando Pessoa, Mensagem.

É aqui


Aqui
é mesmo aqui
sob o insustentável peso das flores
de plástico,
conformada com os contornos
dos fios
da electricidade,
modelada e modelar como
antiga mó
como obra de pedreiro:
a pedra
antiquíssima e leve
ergue-se majestosa e indiferente
ao adorno
que a cobre
que quase a esconde
que não a prende.
Hão derreter as flores, hão-de arder os fios
permanecerá ela florescente em sua pura e mineralíssima natureza
rosto cristalizado
alado
da beleza.

2 comentários:

soantes disse...

Calou fundo este poema. E eu, soantes...

RisoletaC Pinto Pedro disse...

Felizes os que se afundam no silêncio que soa antes de qualquer som.
Abraço
R

Enviar um comentário

É aqui


Aqui
é mesmo aqui
sob o insustentável peso das flores
de plástico,
conformada com os contornos
dos fios
da electricidade,
modelada e modelar como
antiga mó
como obra de pedreiro:
a pedra
antiquíssima e leve
ergue-se majestosa e indiferente
ao adorno
que a cobre
que quase a esconde
que não a prende.
Hão derreter as flores, hão-de arder os fios
permanecerá ela florescente em sua pura e mineralíssima natureza
rosto cristalizado
alado
da beleza.

2 comentários:

soantes disse...

Calou fundo este poema. E eu, soantes...

RisoletaC Pinto Pedro disse...

Felizes os que se afundam no silêncio que soa antes de qualquer som.
Abraço
R

Enviar um comentário