Um espaço para reinventar Portugal como nação de todo o Mundo, que estabeleça pontes, mediações e diálogos entre todos os povos, culturas e civilizações e promova os valores mais universalistas, conforme o símbolo da Esfera Armilar. Há que visar o melhor possível para todos, uma cultura da paz, da compreensão e da fraternidade à escala planetária, orientada não só para o bem da espécie humana, mas também para a preservação da natureza e o bem-estar de todas as formas de vida sencientes.

"Nós, Portugal, o poder ser"

- Fernando Pessoa, Mensagem.

Há espaço para altruísmo e compaixão no nosso sistema económico?

Is there room for altruism and compassion in our economic system?

On April 9 - 11, 2010, at the Kongresshaus Zürich, economic leaders and leading minds in neuroscience, applied economics, philosophy, contemplative science and anthropology will discuss moral and ethical dimensions of our economic system.

The ongoing global financial crisis clearly shows how vulnerable economic systems are to human behavior, particularly to corruption and greed. This conference focuses on the question: can we develop economic systems which deliver prosperity and welfare, while at the same time reward altruism and compassion?

Speakers include:

The XIV Dalai Lama
William George, M.B.A., Harvard Business School
Tania Singer, Ph.D., University of Zürich
Lord Richard Layard, Ph.D., London School of Economics
Antoinette Hunziker-Ebneter, M.B.A., Forma Futura Invest, Inc.
Matthieu Ricard, Ph.D., Shechen Monastery

Questions include:

Is it possible to develop an economic system which rewards a whole society as opposed to only one individual?
Can we conceive of a system that not only recognizes competitive success, but also recognizes cooperation and compassion?
What needs to change in the thinking structure of economists in order to facilitate that change?
Can an economic system be developed that resolves real societal problems related to poverty and environment?
The Mind and Life XX conference offers a unique opportunity to follow a high-level interdisciplinary exchange between scientists and economists.

The whole dialogue will be held in English. Please find attendance and registration details on our homepage: www.compassionineconomics.org.

Kind regards,

The Mind & Life Institute

7 comentários:

Paulo Borges disse...

Afinal nem tudo parece ir mal na Suíça...

Laura disse...

Não sei se sabem, mas há prémios Nobel da Economia a trabalhar no FIB. Gosto desta interdisciplinaridade que surgiu no século XXI. Será que tenho o defeito do optimismo ou uma fé louca no ser humano?

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/conteudo_478133.shtml
Joseph E. Stiglitz, prémio Nobel de Economia em 2001

Paulo Borges disse...

Laura, também gosto muito disso. Creio que o ser humano é capaz, como tem mostrado, do melhor e do pior. Cabe-nos ser exemplos contagiantes da primeira possibilidade, o que só é possível se não nos considerarmos superiores por isso.

WOLKENGEDANKEN disse...

Nao, nao vai tudo mal, embora actualmente tenham problemas com minaretes ....

Gosto da ideia deste blog e do teu manifesto em quase todos os pontos. Mas como falas duma visao critica permito-me dizer que - visto com olhos nao portugueses - o texto do Padre Antonio Vieira a proclamar a superioridade dos portugueses sobre todas as outras nacoes é um pouco forte ! Se por exemplo um alemao citasse um texto desta "tonalidade" referente a sua nacao imaginas a reaccao !! Os gritos de "racista" , "nazi" etc chegariam até o ceu.

E a minha conviccao que o nacionalismo é uma das grandes pragas da humanidade e que nunca deu nada positivo a longo prazo. Até se só for utilizado como meio para despertar consciencias !

Embora compreenda a ideia de confrontar um sistema de valores universais basados em principios eticos e espirituales ao consumismo
desenfreado que parece governar o mundo e especialmente Portugal onde o "crash" entre o capitalismo galopante e uma pobreza choquante é extremo.

Pessoalmente gosto mais dum modelo universal em que as raizes culturais de cada pessoa sao um factor de riqueza adicional mas nao de identificacao basica. Um sangha sem fronteiras nacionais ......

saudacoes fraternais e disculpa as insuficiencias do meu portugues

Paulo Borges disse...

Caro Wolkengedanken, creio que num sentido tens razão e hesitei em colocar aquele trecho, mas optei por fazê-lo porque não me parece que afirme a superioridade dos portugueses, mas antes a sua universalidade, a sua vocação para fazerem de todo o mundo a sua pátria, o que nada tem a ver com nacionalismo nem sequer com o patriotismo habitual do "nós contra os outros". Mas há o risco do texto ser entendido assim, é claro.

David Amaral disse...

Uma questão que parece surgir de uma contradição essencial e vital!
E esse "nosso" sistema económico? será mesmo nosso?
Gostava de assistir a essa reunião!

Laura disse...

É a este seu comentário que me referia há pouco, Wolkengedanken, só que não consegui encontrá-lo logo.
Saudações,
Laura

Enviar um comentário

Há espaço para altruísmo e compaixão no nosso sistema económico?

Is there room for altruism and compassion in our economic system?

On April 9 - 11, 2010, at the Kongresshaus Zürich, economic leaders and leading minds in neuroscience, applied economics, philosophy, contemplative science and anthropology will discuss moral and ethical dimensions of our economic system.

The ongoing global financial crisis clearly shows how vulnerable economic systems are to human behavior, particularly to corruption and greed. This conference focuses on the question: can we develop economic systems which deliver prosperity and welfare, while at the same time reward altruism and compassion?

Speakers include:

The XIV Dalai Lama
William George, M.B.A., Harvard Business School
Tania Singer, Ph.D., University of Zürich
Lord Richard Layard, Ph.D., London School of Economics
Antoinette Hunziker-Ebneter, M.B.A., Forma Futura Invest, Inc.
Matthieu Ricard, Ph.D., Shechen Monastery

Questions include:

Is it possible to develop an economic system which rewards a whole society as opposed to only one individual?
Can we conceive of a system that not only recognizes competitive success, but also recognizes cooperation and compassion?
What needs to change in the thinking structure of economists in order to facilitate that change?
Can an economic system be developed that resolves real societal problems related to poverty and environment?
The Mind and Life XX conference offers a unique opportunity to follow a high-level interdisciplinary exchange between scientists and economists.

The whole dialogue will be held in English. Please find attendance and registration details on our homepage: www.compassionineconomics.org.

Kind regards,

The Mind & Life Institute

7 comentários:

Paulo Borges disse...

Afinal nem tudo parece ir mal na Suíça...

Laura disse...

Não sei se sabem, mas há prémios Nobel da Economia a trabalhar no FIB. Gosto desta interdisciplinaridade que surgiu no século XXI. Será que tenho o defeito do optimismo ou uma fé louca no ser humano?

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/conteudo_478133.shtml
Joseph E. Stiglitz, prémio Nobel de Economia em 2001

Paulo Borges disse...

Laura, também gosto muito disso. Creio que o ser humano é capaz, como tem mostrado, do melhor e do pior. Cabe-nos ser exemplos contagiantes da primeira possibilidade, o que só é possível se não nos considerarmos superiores por isso.

WOLKENGEDANKEN disse...

Nao, nao vai tudo mal, embora actualmente tenham problemas com minaretes ....

Gosto da ideia deste blog e do teu manifesto em quase todos os pontos. Mas como falas duma visao critica permito-me dizer que - visto com olhos nao portugueses - o texto do Padre Antonio Vieira a proclamar a superioridade dos portugueses sobre todas as outras nacoes é um pouco forte ! Se por exemplo um alemao citasse um texto desta "tonalidade" referente a sua nacao imaginas a reaccao !! Os gritos de "racista" , "nazi" etc chegariam até o ceu.

E a minha conviccao que o nacionalismo é uma das grandes pragas da humanidade e que nunca deu nada positivo a longo prazo. Até se só for utilizado como meio para despertar consciencias !

Embora compreenda a ideia de confrontar um sistema de valores universais basados em principios eticos e espirituales ao consumismo
desenfreado que parece governar o mundo e especialmente Portugal onde o "crash" entre o capitalismo galopante e uma pobreza choquante é extremo.

Pessoalmente gosto mais dum modelo universal em que as raizes culturais de cada pessoa sao um factor de riqueza adicional mas nao de identificacao basica. Um sangha sem fronteiras nacionais ......

saudacoes fraternais e disculpa as insuficiencias do meu portugues

Paulo Borges disse...

Caro Wolkengedanken, creio que num sentido tens razão e hesitei em colocar aquele trecho, mas optei por fazê-lo porque não me parece que afirme a superioridade dos portugueses, mas antes a sua universalidade, a sua vocação para fazerem de todo o mundo a sua pátria, o que nada tem a ver com nacionalismo nem sequer com o patriotismo habitual do "nós contra os outros". Mas há o risco do texto ser entendido assim, é claro.

David Amaral disse...

Uma questão que parece surgir de uma contradição essencial e vital!
E esse "nosso" sistema económico? será mesmo nosso?
Gostava de assistir a essa reunião!

Laura disse...

É a este seu comentário que me referia há pouco, Wolkengedanken, só que não consegui encontrá-lo logo.
Saudações,
Laura

Enviar um comentário